O Carnaval de Loures é um dos mais antigos do nosso país, com uma longa tradição que remonta a 1934 e que se intensificou ao longo dos anos.

Inicialmente, os festejos carnavalescos caracterizavam-se pela saída das Cegadas, manifestações de teatro de rua, mordazes e irónicas que criticavam situações locais ou nacionais e pelo “lançamento de pulhas”, gracejo provocatório que tinha como função escarnecer ou “dar recados a alguma personalidade local”.
Outras actividades tradicionais eram: o arremesso de ovos, os enfarinhamentos, os jogos de água junto ao chafariz do Largo 4 de Outubro. Também os bailes animavam as noites dos Loureenses.
carnaval de louresluis garcia As pessoas mascaravam-se e iam dançar no salão da “Sociedade”. Os jovens andavam mascarados, apelidando-se de “encaraçados”com roupas extravagantes, travestindo-se de “mastronças”, dançavam e tocavam parando em todas as casas.

Os “assaltos”, por norma, feitos à noite a casa dos amigos, resultavam em que, uma vez a casa assaltada, os seus donos tinham de oferecer comida e bebida aos assaltantes, que só se desmascaravam quando fosse descoberta a sua identidade.

Mas o ponto alto dos festejos era o Enterro do Carnaval – tradição que ainda persiste. Na região saloia, há quem lhe chame Enterro do Bacalhau, que simboliza o fim do Carnaval, dos fôlegos e das brincadeiras. Na 4.ª feira à noite, um grupo de rapazes munidos de uma padiola com archotes acessos percorria as ruas da então vila de Loures em gritaria, com um boneco, lançando-lhe fogo no final da brincadeira.

Nos idos anos ’40 por proposta de um deputado da então Assembleia Nacional, o Carnaval de Loures foi proibido. Ao longo dos anos fizeram-se diversas tentativas, frustradas, de reactivar o “Carnaval de Loures”, que somente em 1970 voltou a realizar-se. Já semelhante aos moldes actuais, com os corsos ao domingo e terça-feira e o tradicional “Enterro do Entrudo” na quarta-feira de Cinzas. Este recomeço do Carnaval teve como finalidade a angariação de fundos para a construção do actual quartel dos Bombeiros Voluntários de Loures.

Em 1985, o Carnaval Saloio de Loures voltou a parar, até que em 1990, uma organização conjunta da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Loures, Associação Luís Pereira da Mota (instituição que se dedica a apoiar crianças e idosos) e Grupo Sportivo de Loures, conseguiu tornar realidade um sonho de muitos milhares de pessoas. Esse sonho, porém, apenas durou durante quatro anos.

Em 26 de Maio de 2000, com o apoio incondicional da Câmara Municipal e Junta de Freguesia de Loures, foi criada a Associação do Carnaval de Loures, cujo objectivo principal é organizar e realizar, em Loures, os festejos carnavalescos sem quaisquer interrupções. Em 2003, como corolário de todo o esforço desenvolvido na realização do Carnaval Saloio de Loures, bem como de todo o êxito que este alcançou, a Câmara Municipal cedeu à Associação do Carnaval de Loures, o direito de superfície de uma parcela de terreno, com uma área de 1.580 m2, destinado à construção da Sede Social e pavilhão para preparação dos carros alegóricos. Obra essa que se encontra concluída, tendo sido inaugurada em 15 de Maio de 2005.

Actualmente, o Carnaval de Loures, com 15 carros alegóricos e cerca de 1200 figurantes, é considerado um dos mais importantes da Área Metropolitana de Lisboa e do país. Os festejos trazem às ruas de Loures dezenas de milhares de pessoas, e ao longo do tempo tem assumido um papel de destaque na promoção do Concelho e da região. Entre 2006 e 2012, a organização contou com o apoio de uma equipa de especialistas oriundos de Escolas de Samba do Rio de Janeiro, coordenados por um “Carnavalesco” que tinha como função idealizar e conceber os figurinos e carros alegóricos.

De destacar também da programação actual do Carnaval, outros eventos singulares tais como, o Enterro do Rei D. Ocarário ou o Baile Trapalhão. O Carnaval de Loures possui ainda o maior grupo de carnaval organizado do país – as “Mastronças do Moulin Rouge”.

Desde 2013 o Carnaval de Loures, não sendo alheio às dificuldades económicas que o país atravessa(va), decidiu apostar num novo modelo.

Abandonadas as parcerias com os colaboradores oriundos do Rio de Janeiro, o Carnaval de Loures aposta agora quer num desfile carnavalesco de entrada gratuita (caso singular no país) – não abandonando os padrões de qualidade e folia com que sempre habituou quem aqui se desloca para festejar o carnaval – quer também cobrando preços muito reduzidos para os outros eventos que se realizam durante os cinco dias do Carnaval Saloio.

Junte-se ao Carnaval de Loures e faça anualmente parte da História!